A beleza nasce quando as regras são ignoradas/ The beauty rises when the rules are ignored

 

foto-1

foto-2-1

foto-1-1

 Ilustração – livro “Zapatos de cabellero” Laszló Vass& Magda Molnar

Os sapatos clássicos de homem são criações tão simples que até parece repousante, especialmente para alguém que está imerso na variedade dos modelos femininos. Tudo roda à volta de uns pilares básicos da criação, que são enraizados no desenho do modelo, que qualquer pormenor ou alteração de regra torna-se a própria razão da beleza, elegância e unicidade. A beleza dos sapatos feitos à mão, também nasce quando os pormenores não existem e as regras são ignoradas: típico masculino!

A maioria dos sapatos clássicos de homem conta com complicados desenhos geométricos, realizados com pequenos orifícios sobre a biqueira e as partes laterias do sapato (brogueing). As perfurações são ordenadas na sequência de vários modelos geométricos, de buraquinhos grandes e pequenos ou do mesmo tamanho, que formam linhas e arcos sempre simétricos. As perfurações são feitas com orifícios de 3 milímetros alternando com os de 1 milímetro e em algumas ocasiões também inclui de 5mm, no meio do desenho.

IMG_4258-1280

IMG_4255-1280

IMG_4254-1280

Inicialmente, os sapatos “Oxford” ou “Blutcher/Derby” não tinham nenhuma decoração. Os sapatos decorados com o brogueing foram uma invenção dos sapateiros irlandeses a fim de facilitar a secagem do interior do sapato. Primeiro, este tipo de sapato popularizou-se entre os silvicultores ingleses mas rapidamente a elite aristocrata inglesa começou a utilizar este tipo de calçado para caçar. Os sapatos com complicados desenhos geométricos invadiram o guarda-fato da nobreza e o “brogueing” sofreu modificações importantes: começou a ser produzido com a pele cada vez mais fina e mais suave e o padrão do perfurado visivelmente mais elegante.

Hoje em dia existem 3 modelos clássicos principais mas apesar da simplicidade dos sapatos de homem a história do “brogueing” fica para contar….

 IMG_4266-1280

English Version

The beauty rises when the rules are ignored

The classic men shoes are such a simple creations that feels comforting for someone immersed in the variety of female models. Everything revolves around some basic pillars of the creation which are so firmly stuck into the heart of the template design that any detail or modification of the rule is the very reason of the beauty, elegancy and uniqueness. The beauty also rises when the details do not exist and the rules are ignored – so typical manhood!

IMG_4242-1280

IMG_4251-12801

IMG_4247-1280

Most classic shoes for men features complicated geometric designs made ​​with small holes on the toe and laterals parts of the shoe (brogueing). The perforations are ordered following various geometric models, large and small holes or the same size, forming lines and always symmetrical arches. The perforations are made with 3mm holes alternating with 1 mm and sometimes also include 5mm, in the middle of the drawing. Initially, the shoes “Oxfords” or “Blutcher / Derby” hadn’t any decoration. The shoes with brogueing were a invention of the Irish shoemakers, in order to facilitate the drying of the interior of the shoe. At the beginning, this kind of shoes became popular among English foresters but soon the English aristocracy borrowed this shoe to hunt with him. The shoes with complicated geometric designs invaded the wardrobe of the nobility and in fact the brogueing had undergone some important changes: was produced with thinner and smoother leather and the standard brogueing it was more and more elegant.

IMG_4265-1280Today we have 3 basic models… but despite the simplicity, the story of ”brogueing” remains to be told…